sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

umas lembranças guardadas

Estava escrevendo um texto enorme, falando sobre tudo que estava preso aqui. Mas decidi não postar. Vai ficar aqui guardado nos rascunhos, até eu decidir se devo ou não expor tudo isso.

***

Às vezes me sinto perdido. Me sinto sem rumo, como se todas as direções para as quais eu corresse, me levasse para um único abismo de medo e solidão. Nada mais funciona. Não posso mais fazer nada. Apenas esperar a vida me mostrar que, talvez, eu esteja precisando passar por isso.
Aquela música... aquela... a sua.
Estou ouvindo ela agora. Você não sabe qual é. Mas foi nela que me refugiei naqueles longos dias depois daquilo tudo. Foi ela que eu colocava no carro indo pra faculdade e ficava imaginando eu falando pra você todos aqueles refrões.
Você me machucou tanto na época. Você me fez chorar. Me senti humilhado. Me senti um nada. As coisas saíram do meu controle, nesses dias eu estava vulnerável a qualquer palavra sua.
E ver aquele número estranho vindo falar comigo, me contando coisas, falando que sou mentiroso... Você não sabe como aquilo me fez mal.
Senti que finalmente existia alguém me substituindo.

Você não deixou eu perceber que ainda sofria, que ainda chorava por mim. Obrigado. Não sei se eu aguentaria ver você chorando na minha frente, ou receber alguma ligação desesperada na madrugada.

Ver como as coisas estão hoje, me dão ainda mais certeza que errei feio com você. Fui errado em ter tomado decisões egoístas.
Você deve estar me odiando por tudo isso.

Foi o Agosto mais difícil da minha vida. Não tinha forças pra nada... nada. Sentia só pânico. E eu me escondia debaixo do edredom, apertava minha barriga, me encolhia e ficava ali. Ali comigo. Me consolando.

Você realmente acha que um mês resolve a vida? Você realmente acha que eu sou essa fortaleza? Que eu tenho essa força toda, ou que consigo suportar muita coisa? Sério mesmo?


De umas palavras guardadas por aqui. 
Às vezes gosto de mexer naquelas prateleiras empoeiradas.


2 comentários:

  1. Nossa quanta intensidade suas palavras. Amei amei o seu blog me identifiquei muito com ele. Conte mais pra suas leitoras sobre esse amor, quando você escreve dele e das suas angustias consegue passa nas suas palavras todo o sentimento.
    continue escrevendo, vou sempre entrar.
    abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. vou continuar escrevendo sim .. algumas coisas são meio difíceis de postar aqui, ainda estão guardadas .. mas com o tempo acho que vou escrevendo .

      Excluir

quem escreve

Minha foto
Rodolffo Saldanha
Estudante de Engenharia Civil e Arquitetura e Urbanismo, 23 anos.
Visualizar meu perfil completo

o que já escrevi...

Rodolffo Saldanha. Tecnologia do Blogger.