quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

palavras não descrevem

Meu passado me afeta muito mais do que deveria. São lembranças, decepções amorosas, alegrias e tristezas vividas, humilhações, conquistas, medos, traumas, decepções...
Tudo isso me torna a pessoa que eu sou hoje.
Algumas coisas na minha vida, não deveriam ter acontecido, se ao menos eu tivesse pensado um pouco melhor.
Tento viver e fingir que muitas coisas não aconteceram, que eu hoje, sou uma pessoa comum emocionalmente e sã. Mas guardo aqui dentro do peito, muito mais do que vocês possam imaginar.
Não é fácil, nada disso é fácil.
O caminho percorrido esculpe o ser humano no presente. Tudo deixa um rastro. As dores, as alegrias...
Me sinto numa sala sozinho, gritando, sem que ninguém pudesse me ouvir ou me entender. Sem confiança suficiente para desabafar com qualquer pessoa sequer.
Eu sei que sou fraco, sou uma pessoa errante e totalmente vulnerável.
Estou cansado de clichês, de rotinas, de sempre ouvir as mesmas coisas... Queria, de verdade, mudar tudo de uma vez por todas.
Quem sabe o caminho da minha felicidade está mais perto do que eu possa imaginar.
Fico pensando, mas não consigo imaginar uma solução, me sinto abandonado e isolado por meus erros. Sei que a culpa de tudo isso que está acontecendo, é minha.
Sou muito mais fechado do que eu pensava, não consigo me abrir com ninguém ou sequer deixar ser ajudado.
Estou cansado das pessoas se aproximarem de mim, sem ao menos pensarem no que pode existir aqui dentro.
Já ajudei muitos, já ajudei muitas pessoas a se levantarem e tomarem coragem... Mas agora, eu é que preciso de ajuda.

É difícil ser ajudado sem pedir ajuda. 

É impossível querer gritar por pedido de mudança, sem ter voz.

0 comentários:

Postar um comentário

quem escreve

Minha foto
Rodolffo Saldanha
Estudante de Engenharia Civil e Arquitetura e Urbanismo, 23 anos.
Visualizar meu perfil completo

o que já escrevi...

Rodolffo Saldanha. Tecnologia do Blogger.